B. B. King 89 anos e alguns rabiscos...

Nome completo Riley B. King Também conhecido como Beale Street Blues Boy, Blues Boy King, Rei do Blues
Nascimento 16 de Setembro de 1925 (89 anos) Itta Bena, Mississippi - Estados Unidos
Gênero: Blues - Instrumento: Vocal, Guitarra elétrica, Piano
Modelos de instrumentos Gibson ES-355s (Lucille)
Período em atividade 1949 - atualmente
Afiliação(ões) Eric Clapton, Bobby Bland
Página oficial B.B.King.com
Riley Ben King, mais conhecido como B. B. King, (16 de Setembro de 1925, Itta Bena, Mississippi) é um guitarrista de Blues, compositor e cantor estado-unidense. O "B. B." em seu nome significa Blues Boy, seu pseudônimo como moderador na rádio WDIA. Foi considerado ao lado de Eric Clapton e Jimi Hendrix os melhores guitarristas do mundo pela revista norte-americana Rolling Stone.
Começou por tocar, a troco de algumas moedas, na esquina da Igreja com a Second Street e chegou mesmo a tocar em quatro cidades diferentes aos sábados à noite. É reconhecido como o maior guitarrista de Blues da atualidade, onde é referido como o Rei do Blues. É bastante apreciado por seus solos, nos quais, ao contrário de muitos guitarristas, prefere usar poucas notas. Certa vez, B.B. King teria dito: "posso fazer uma nota valer por mil".



A tal da saudade

De todos os sons
nada mais valia;
meu rock, meu jazz,
o doce do blues,
nem qualquer feitiçaria.
Minha cara metade,
cálida mulher,
jardim de vida:
ação – amor – afeição,
motor propulsor
e motivação...
Fiel agasalho – elixir,
sua voz é pronuncia,
mel – música,
que não canso de ouvir.

Denomino-me um amante inveterado do bom e velho jazz e blues.
Gosto dos solos, dos clássicos, dos básicos, dois polos.
Acordei venerando a música,
peguei a gaita e o jeito
não fazemos amor há tempos.
Saiu um blues dos pesados
melodia traçada nessa harmonia:
- rito e reta - meta e mote - fito o mito.
- sem moda - sem fúcsia - filha única.
Gosto de escrever poesia, pintar e tocar bateria; 
vivo longe da vida vazia, pois faço das artes minha orgia.

André Anlub®

Postagens mais visitadas deste blog

A chuva bem-vinda

Um Eu qualquer

Parte XI