óTima semana

Sobre o ombro dos homens contemporâneos, a lua minguante; sob o arcabouço da aura, a alma minguada. Enfim o afã da nova era; ao fim da quimera que assaz já era.


Brinco - choro - rio
Enxoto para longe a morte
E com sorte ela vai e não volta
Impossível é perder o meu brio
Queria mesmo ver o mundo
Cicatrizando os seus cortes.

André Anlub®

Postagens mais visitadas deste blog

A chuva bem-vinda

Tempo de recomeço

Um Eu qualquer