Adeus ao Orkut...

Já arredei minha veste preta, vou vestir branco, demiti as carpideiras, e com muito pesar darei "tchau" ao querido espaço Orkut (mas a vida continua); sinto-me muito triste, pois foi por lá que comecei meus primeiros rabiscos "online"... Lá vendi muitos livrinhos Poeteideser e fiz diversos amigos... muitos deles extravasaram para uma amizade mais perto, cá fora, com mais cheiro de verso e de gente; felizmente pude partilhar das rimas pessoalmente com alguns poetas e amantes das letras também fora das redes sociais e muitos ainda estou para conhecer. Bem, contudo, novas redes sociais vieram e virão, e a nau poética jamais afundará (nem se tacarem fogo em todos os livros e meios de divulgação), pois a poesia é eternizada no universo de cada ser vivo. 

Em tempo: Vão-se os papéis, ficam os enredos. 

André Anlub®




Adeus, Orkut: a Folha fez um obituário genial pra rede social...

Postagens mais visitadas deste blog

A chuva bem-vinda

Um Eu qualquer

Parte XI