A luz do amor

Tem café ai? Entãão... vamos desenhar um panda!
Posted by Tudo Interessante on Sexta, 15 de maio de 2015


A luz do amor      
(André Anlub - 3/3/11)

Beleza exposta no tom de um ingênuo feixe de luz multicolorido entrou pela janela e beijou meu subconsciente;
De criança inocente tornei-me seu adulto amante,
Em um amor nada errante – em uma paixão toda ardente.

Tesouro das águas profundas, 
Ricos barcos afoitos;
Vidas que fulgem no ouro
Que ofuscam olhos presunçosos,
A cada passo e a cada raso e a cada fundo.

Um plantar em outras épocas,
Agora inevitável fruto.

Amor profundo,
Para o mundo não findo tal amor...
Amor vagabundo 
De pés descalços na grama mais verde.

Sinto no seu encalço o verdadeiro flerte:
- perdido e achado 
- no fundo e no alto
- doado e presente.

Firme e forte caminhando
Em frio e calor:
- povoará esse seco mundo
Que a neve derreteu.

Postagens mais visitadas deste blog

A chuva bem-vinda

Tempo de recomeço

Um Eu qualquer