Correm as águas

Senhora e Senhores, com vocês Edgar Duvivier e Chico Buarque...
Posted by Mano Melo on Sexta, 10 de julho de 2015


Correm as águas nervosas e frias
delas, tuas e minhas
na prontidão da montanha.

A resposta vem com o ar fecundo 
quebrando o coeso silencio
queimando mil brancos lenços
prevendo o fim dos futuros lamentos.

Nasceu em águas apaixonantes (disse alguém) a poesia.
Num cenário emoldurado que consagrou a cria.
(entre cantos, entre tantos, por ironia)
um poeta de amor sofria.

O corpo se contorce nas belas curvas do mistério
e meu universo se entorpece em um minuto.
Vejo minha vida, sua verve - seu externo.
Rogo amor eterno e me completo absoluto.

André Anlub

Postagens mais visitadas deste blog

A chuva bem-vinda

Tempo de recomeço

Um Eu qualquer