#DiaMundialDaDiversidade

A arte e o tempo se vão – vontades e desenhos de pele ficam. 
(Manhã de 7 de junho de 2015)

Trouxeram-me os Anjos alguns rabiscos nessa madrugada. Eram folhas sem nada, em branco, mas tudo ali continham. Foi o mundo ao avesso no desapresso das pressas. O pensamento ligeiro deixava nas nuvens rastros de onde nunca passou enquanto o mar, meu amigo, me aguardava em uma próxima e breve visita. Os olhos fechados em sonhos iam aquém e além do tempo presente; pude ver tão claramente um fato nunca consumado. Por onde estaria um quadro chamado “chupa cabra” que pintei e presenteei uma amiga? Onde estaria essa amiga? Pois é. As flores belas nos cantos da sala, as velas queimando e perdendo seu corpo; as flores ainda com cheiro delicioso e as velas ainda tinham muito a queimar. Um poço de água doce e limpa em formato de lembrança... Uma água nunca bebida e uma sede que sempre houve. Vejo agora elegantes elefantes com seus passos gigantes, pesados e lentos... Em um santuário que faz qualquer santo voar. Versos me rodeiam e anseiam serem pegos e “usados”. As pedras, cá para baixo – pedras duras e cascalhos – lisas e pontiagudas – formam dores antigas e novas e, como não poderia deixar de ser, também fazem parte do cenário. A peça de teatro já – já irá ao ar. Em um abre/fecha de cortinas, rotineiras rotinas e acasos em novidades... Tudo para alegrar a alma. Vou pensar sobre o assunto e tirar minhas próprias conclusões (novamente). Expus o que era para ser exposto, e com gosto. Pus-me o que era pus e cicatrizou em uma casca mais forte e duradoura. Escrevi somente para fazer graxa e engraxar o texto... dar brilho. As cachoeiras me chamam (sejam elas quais forem), as águas me chamam, o sol está no ponto e o céu bate seu ponto... Ainda mais azul do que nunca. Canhões e soldados sedentos, tempestades e terremos (querendo), chuva ácida – frio e gelo. O frio perdeu a guerra, mas ainda não se deu conta disso (ainda bem). Agora dou uma puxada forte no meu inalador Vick, cheiro de cânfora e mentol... O tempo ficou lento e o som no mínimo, lamentos enterrados e lamúrias aos ventos... A distância entre o entrosamento e o ensejo é um breve momento... As cortinas de todas as cores e formas se fecham... Hoje houve sonho, como sempre há.  #DiaMundialDaDiversidade


"Hoje, 21 de maio, é o Dia Mundial da Diversidade Cultural para o Diálogo e o Desenvolvimento. A data enfatiza a importância da diversidade como alicerce do desenvolvimento sustentável e elemento estruturante de identidades coletivas abertas ao diálogo e respeito mútuos. 
Confira  a  mensagem de Irina Bokova, diretora-geral da UNESCO, que destaca o papel central da cultura para o cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, a serem alcançados até 2015.
“A menos de mil dias para o prazo final de 2015 dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODMs), nós devemos fazer de tudo para acelerar o progresso. Cultura e diversidade cultural não fazem parte dos objetivos de desenvolvimento internacionalmente reconhecidos – mas eles são “aceleradores” essenciais para atingi-los. Nesta nova era de limites, as capacidades humanas de invenção e de inovação são duas das nossas forças mais poderosas e renovadoras. Esse é o motivo pelo qual a diversidade cultural é tão importante – como uma fonte de criatividade, de dinamismo e de sustentabilidade. Devemos reconhecer, apoiar e compartilhar essa força, com base nos direitos humanos e nos valores universais.
Esse é o estímulo dado pela Declaração Universal da UNESCO sobre a Diversidade Cultural, de 2001, que nunca foi tão evidente quanto na atualidade – uma época em que os governos estão repensando estratégias para o desenvolvimento sustentável e buscando novas fontes de dinamismo. À medida que avançamos rumo a 2015 e elaboramos uma nova agenda de desenvolvimento global a ser seguida, devemos aproveitar ao máximo o poder da cultura e da diversidade cultural.
A posição da UNESCO é clara. A cultura é um dos motores do desenvolvimento, que é conduzido pelo crescimento do setor cultural e das indústrias criativas, bem como pelos benefícios advindos da salvaguarda do patrimônio cultural tangível e intangível. Ela é também um facilitador do desenvolvimento sustentável – o contexto no qual políticas de desenvolvimento podem avançar, por meio da participação local, com eficiência e impacto. Nesse contexto, o diálogo intercultural é essencial para se aproveitar ao máximo da diversidade, para aprofundar as raízes do desenvolvimento e para compartilhar seus benefícios.
2013 é um ano importante para tratar disso.
Nós devemos construir com base nas duas Resoluções sobre cultura e desenvolvimento adotadas pela Assembleia Geral das Nações Unidas, em 2010 e 2011, e avançar no debate: este mês, durante o Congresso Internacional de Hangzhou, na China; em junho, no Debate Temático sobre Cultura para o Desenvolvimento Sustentável, convocado pelo presidente da Assembleia Geral da ONU; em julho, na Revisão Ministerial Anual do ECOSOC sobre “Ciência, tecnologia e inovação, e o potencial da cultura para promover o desenvolvimento sustentável e atingir os ODMs”; ainda em julho, por ocasião do lançamento da terceira edição do Relatório sobre Economia Criativa, que tem como coautores a UNESCO e o PNUD; em novembro, durante o Fórum Mundial de Cultura em Desenvolvimento, organizado pela Indonésia em parceria com a UNESCO; e no segundo semestre deste ano, por meio de uma possível terceira Resolução da Assembleia Geral da ONU sobre Cultura e Desenvolvimento.
Em tempos de mudança, nós devemos ampliar o debate sobre o desenvolvimento para aproveitar o poder transformador da cultura. Reconhecer e apoiar a diversidade cultural pode auxiliar a abordar as dimensões econômicas e de direitos humanos da pobreza, bem como fornecer soluções criativas e transversais para problemas complexos – desde a saúde e o meio ambiente até o avanço da igualdade de gênero e a educação para todos.
Em uma época de incertezas, a cultura, em toda a sua diversidade, pode promover um senso de identidade e de coesão para as sociedades. Ela é também uma fonte poderosa de criatividade e de inovação. Por fim, nenhuma forma de desenvolvimento pode ser sustentável sem cultura. Essa é a mensagem da UNESCO neste Dia Mundial da Diversidade Cultural para o Diálogo e o Desenvolvimento”."

Postagens mais visitadas deste blog

A chuva bem-vinda

Tempo de recomeço

Um Eu qualquer