Ponderações


Comprando Nerudas, Recife (PE) 2010

Ponderações “nas internas III”

Através do olho mágico da vida
Vejo o amor que mais uma vez
Bate à porta do meu coração.

Não quero paixão egoísta, profunda
Feita poça de chuva fina;
Não quero paixão quente
Feita água que o bacalhau se banha...
A paixão que quero deixou pista:
Muito beija, muito afaga,
Não apanha e não amarga... 
É brincadeira de criança... 
Pera, uva, maça e salada mista.

Quem ama às vezes sofre,
Pois arromba-se o cofre dos anseios
E alimentando-se nos seios que repousa,
Justifica o fim nos prazeres dos meios.

Em nosso caminhar...
Cada passo é sombra verdadeira,
Cada selva é clarão e clareira.
No azeite dos anjos,
Que desce pelos ombros.

Não sou filósofo nem profeta,
Minha linha não é nada reta;
Sou sempre prólogo com algumas metas;
Divago calmo, afago e flerto as mentes abertas.
No amor sou carne e osso, cerne e fosso, 
Amor implexo e alvo das flechas.

Postagens mais visitadas deste blog

A chuva bem-vinda

Um Eu qualquer

Parte XI